Sacola de Compras

* Calcule seu frete na página de finalização.

* Insira seu cupom de desconto na página de finalização.

02/05/2021

As Vitaminas – Um pequeno tratado de estudo – Parte 1

 

As Vitaminas – Um pequeno tratado de estudo – Parte 1

 

Pedro Tomelleri

Para compreender e avaliar o uso das vitaminas na forma natural dos alimentos, isto é, nas condições dietéticas suplementares, se torna necessário algumas informações gerais e de cada uma em particular. Em geral se sabe que são substâncias que agem em pequena ou pequeníssima quantidade, mesmo assim, indispensáveis para alguns processos biológicos fundamentais. Sabe-se, outrossim, que algumas dentre elas não podem ser sintetizados pelo organismo humano, por isso, devem ser fornecidas através do alimento. Assim como a carência delas gera síndromes patológicas mais ou menos graves e características. A necessidade das mesmas varia notavelmente, conforme a idade, atividade, tipo de dieta, processos metabólicos, absorção, utilização e excreção.

Insuficiência Dietética

Pode ser causada por fatores econômicos, utilização de alimentos pobres em vitaminas, por ingestão de quantidades insuficientes, por inapetência ou anorexia, por ignorar, quais os alimentos com melhor teor de vitaminas ou pela maneira de prepará-los (com perda de vitaminas). Absorção: modificação na flora intestinal, trânsito intestinal rápido, redução da superfície de absorção do intestino por processos ulcerosos ou inflamatórios, disenteria, obstrução intestinal, doenças crônicas de fígado e pâncreas, processos metabólicos e atividade. Necessidades produzidas por exercícios musculares trabalhando em altas temperaturas, gravidez, lactação, crescimento, uso de medicamentos. Excreção: uso de diuréticos, purgantes, diurese aumentada como no caso de diabetes, etc. As fontes naturais contendo diversas vitaminas são freqüentemente mais eficazes que os preparados puros sintéticos. Estes últimos são necessários apenas nas fases mais graves de déficit específicos; por outro lado podem ser inclusive causa de agravamento de déficit múltiplo. Doses excessivamente generosas de algumas delas (A,D,K) podem provocar casos de toxidez. Dada a quantidade extremamente exígua necessária para cobrir a necessidade humana e a larga difusão em quase todos os alimentos, uma dieta normal via de regra, não cria um déficit vitamínico. Além das conhecidas causas de hipovitaminose (alimentação inadequada, absorção alterada, necessidade aumentada) temos que levar em conta as causas técnicas, ligadas a preparação, confecção e conservação dos alimentos, ou seja, melhorar a condição como acontece com o pão branco que não tem mais traços das vitaminas contidas na casca do trigo, assim como para a margarina que não contém nem vitamina A nem vitamina D (adicionadas durante o preparo). Assim como para alimentos conservados mediante aquecimento excessivo, que destrói algumas vitaminas do grupo B. Lembramos ainda que quase todas as vitaminas, além da ação bioquímica (ação no corpo) próprias das mesmas devido às pequenas doses, possuem em doses muito maiores uma ação farmacológica que interessa a farmacologia por seu uso em diversas técnicas alimentares: vitamina C, por exemplo, como antioxidante nos sucos de frutas, farinhas, etc., o beta tocoferol nas substâncias gordurosas, etc.

Tabela de sinônimos de nomenclatura de vitaminas.

Nomenclatura

Sinônimos

Vitamina A

Retinol, ácido retinóico, carotenos, carotenóides, retinal, fator antixeroftálmico

Vitamina D

Ergocalciferol, colecalciferol

Vitamina E

Tocoferol, fator anti-esterilidade, tocotrienóis (tipo de vitamina E)

Vitamina K

Fator anti hemorrágico, vitamina da coagulação

Vitamina C

Ácido ascórbico, fator antiescorbútico

Vitamina B1

Tiamina, fator anti-neurítico, fator anti béri-béri

Vitamina B2

Riboflavina, vitamina G, lactoflavina, ovoflavina, epatoflavina, enzima amarelo, vitamina F

Vitamina PP ou B3

Niacina, ácido nicotínico, nicotinamida, fator anti-pelagra

Vitamina B5

Ácido pantotênico, pantotenol, fator II, vitamina Bx

Vitamina B6

Piridoxina, piridonal, piridosamina, adenina, vitamina Y

Vitamina B8 ou H

Biotina, ácido biotínico, coenzima R, fator S, fator W, fator X

Vitamina B9

Ácido fólico, folacina, ácido pteroglutâmico, ácido folínico, vitamina M, vitamina B, fator U

Vitamina B12

Cianocobalamina, fator antipernicioso, fator protéico animal, fator extrínseco

Colina

Bilineurina

Palazzo do Diet Light – “Melhor Comprar de Quem Sabe o que Fala”

BIBLIOGRAFIA
BAKER E.M. et. al. Vitamin B6 requirement for adult man, Amer J. clin. Nutr 15 ;59, 1964
BRESLAU R.C. Hypervitaminosis A; acute vitamin toxicity Arch. Pediat. 74: 178, 1957
CHESLOCK K.E. McCully MT Response of human beings to a low vitamin B6 diet, J. Nutr.70: 507, 1970
COUNCIL OF FOODS AND NUTRITION. American Medical Association: Importance of vitamin C in the diet, J.A.M.A. 160: 1470,1956
COURSIN d.b., Seizures in infants with Pyridoxine- deficient diet J.A.M.A.154: 406, 1954
DONALD E.A. et. al. Vitamin B6 requirement of young adult womens, Amer.J. Clin.Nutr.24:1028, 1971
FRIMTER G.W. et al. Vitamin B6 dependancy syndromes – new Horizons in nutrition, Amer.J. Clin. Nutr.22:794,1969
HEYSSEL R.M.et al. vitamin B12 Turnover in man, Amer. J. clin.Nutr. 18:176,1966
HODGESR.E. et. al. Clinical manifestations of ascorbic acid deficiency in man, Amer. Clin.Nutr.24:432,1971
HORWITT M.K. et. al. Effect of dietary depletion of Riboflavin, J. ntr. 39:357, 1949
HORWITT M.K., editors, Symposium vit E: Biochemistry, nutritional requirements and clinical studies, Amer. J.Clin.Nutr.9:939,1974
MANGAYUCHUNG A.S. et. al. folic acid, vitamin B6, pantothenic acid, and vitamin B12 in human dietaries, Amer. J. clin.Nutr.9:573, 1971
MONTENERO P., Antibiotici ed eliminazione urinaria di lattoflavina, Acta Vitamin. 5: 204,1952
MONTENERO P., Piridoxina e diabete, Acta Vitamin. 2, 55,1961
MORTON R.A. Fat soluble vitamins (pergamon press, Oxford 1970
ONDAHL J.L. De Luca H.F. Regulation of vitamin D, metabolism and function, Physiol. Rev.53, 327, 1973
SANTINI R .et al. The distribution of folic acid active compounds in individual foods, Amer.J. clin. Nutr. 14: 205, 1964
SEBRELL W. H. BUTLER R.E., Riboflavin deficiency in man, Public Health Rep.54:2121, 1939
VILTNER R. W. , folic acid, In wohl,M.G.,avd Goodhart, R.S.ed. Modern nutrition in health and disease (Lea & Febiger, Philadelphia 1964
WILLIAMS R.J., Early experiences with pantothenic acid, a retrospect, Nutr. Rev 12: 65, 1954
MANUALI DI DIETOLOGIA – FERRO EDIZIONI
TABELA DE COMPOSIÇÃO QUIMICA DOS ALIMENTOS – GUILHERME FRANCO ATHENEU EDITORA.